IMPRENSA

Atendimento:
(11) 4898-8608
comunicacao@promax.bardahl.com.br

Sem contar com bom rendimento do carro, Pizzonia é o 12º em Brasília

21 de Novembro de 2010

21 de Novembro de 2010

A decisão da temporada 2010 da Copa Caixa Stock Car ficou mesmo para a última etapa do ano, dentro de 15 dias, em Curitiba (PR). Neste domingo (dia 21), em Brasília (DF), a sorte voltou a sorrir para o carioca Cacá Bueno. Largando na pole, Ricardo Maurício, até então líder, tinha chances de liquidar a fatura. Mas um problema no carro tirou o paulista da prova na 30ª das 46 voltas. Sorte de Cacá que venceu, seguido por Max Wilson e Thiago Camilo.

Com o resultado, Wilson assumiu a liderança, com 267 pontos. Seis a mais que Cacá. Allam Khodair está em terceiro (252) e Maurício caiu para quarto (251). O campeão será conhecido no dia 5 de dezembro no autódromo paranaense.

Na equipe Hot Car Competições (Agecom / Bardahl), Antonio Pizzonia e Betinho Gresse tiveram uma prova difícil no anel externo da Capital Federal.

Com uma intoxicação alimentar, Pizzonia teve de superar o mal-estar e suportar o forte calor dentro do carro. Mas o desempenho foi atrapalhado mesmo pelo rendimento do carro, que mesmo com o motor trocado – após os problemas no treino classificatório –, não evoluiu. Largando em 21º, o amazonense chegou a estar em nono, mas cruzou a linha de chegada em 12º, marcando pontos.

“Tive de suportar o calor e não pude comer nada, porque passei muito mal durante a noite. Mas o que atrapalhou mesmo é que em nenhum momento neste final de semana tivemos um carro competitivo. Mudamos o motor, mas não adiantou muito. E, na corrida, isso ficou ainda mais visível, porque sempre havia alguém na minha frente e dava para comparar. É frustrante, mas fiz o que pude”, lamentou Pizzonia.

Já o companheiro Betinho Gresse foi atrapalhado no início da prova, quando passou por cima do assoalho que voou de um dos carros. O piloto completou a etapa na 18ª posição.

“Tinha um carro na minha frente e não vi o assoalho. Passei por cima e tive os nacos dos meus freios arrancados (tomada de ar que refrigera o freio). Com problemas nos freios, não tive muito o que fazer durante a prova, apenas me manter na pista”, explicou o paulista.

“Diante de todos os problemas, ao menos conseguimos terminar a prova com os dois carros. Vamos trabalhar e buscar um resultado melhor em Curitiba, no encerramento da temporada”, concluiu o chefe da equipe, Amadeu Rodrigues.

Informações sobre a equipe Hot Car, acesse:

http://www.hotcarcompeticoes.com.br/

Fonte: FGCom

OUTROS RELEASES

Powered by Focusnetworks